Archive | [Noite] RSS feed for this section

DISCIPLINA: Intelectuais negros brasileiros: identidade, nação, projetos políticos e modernidade (séc. XIX e XX) – Carolina Vianna Dantas

6 Jan

Seminário em História da Cultura e das Mentalidades XI (GHT 04352)
Disciplina: Intelectuais negros brasileiros: identidade, nação, projetos políticos e
modernidade (séc. XIX e XX)
Docente: Carolina Vianna Dantas
Dia/Horário: 2ª e 4ª / 18-20h
Ementa: tema monográfico
Objetivos: Esse curso tratará das formas como alguns intelectuais negros brasileiros
viveram a experiência do racismo, da integração, da cidadania e da modernidade.
Também serão discutidos os projetos políticos, nacionais e de intervenção, as críticas
sociais e abordagens da questão racial encaminhados por esses mesmos intelectuais,
através de suas próprias obras e trajetórias, bem como da historiografia pertinente.
Unidades:
1) O “lugar” dos intelectuais negros brasileiros: sociabilidades, cânones e memórias
2) Os dilemas da “dupla consciência”: modernidade, nação, projetos políticos e
identidades
3) A experiência do racismo
4) Nas tramas da vida e da obra de: Luiz Gama; André Rebouças; José do Patrocínio;
Evaristo de Moraes; Lima Barreto; Juliano Moreira; Manoel Querino; Guerreiro Ramos;
Carolina de Jesus; Abdias do Nascimento.
5) Intelectuais negros brasileiros e a questão da “modernidade negra”
Dinâmica das aulas: o curso está baseado em aulas expositivas, abertas a diálogos e
debates na medida do interesse e da demanda da turma. Alguns filmes também estão
previstos.
Avaliação: um trabalho individual a ser entregue ao final da unidade 3, que consistirá
em responder a uma questão formulada pela professora (5,0); um trabalho monográfico
individual, a ser entregue ao final do semestre, sobre um dos intelectuais tratados ao
longo do curso. Esse trabalho deve, obrigatoriamente, incluir a análise de alguma fonte,
ou seja, uma obra do autor escolhido (crônicas, poesias, romance, ensaio, discurso,
autobiografia, etc.) (5,0).
Bibliografia básica:
AZEVEDO, Elciene. Orfeu de carapinha. A trajetória de Luiz Gama na imperial cidade
de São Paulo. Campinas, Editora da Unicamp, 1999.
CARVALHO, Maria Alice Rezende de. Intelectuales Negros en el Brasil del Siglo XIX.
In: ALTAMIRANO, Carlos; MYERS, Jorge. (Org.). Historia de los Intelectuales en
America Latina. Buenos Aires/Madrid, Katz Editores, 2008,
____. O quinto século. André Rebouças e a construção do Brasil. Rio de Janeiro, Revan,
1998
DOMINGUES, Petrônio. A “Vênus negra”: Josephine Baker e a modernidade afro-
atlântica. Estudos Históricos, vol. 23, n° 45, jan-jun 2010.
GILROY, Paul. O Atlântico Negro: modernidade e dupla consciência. São Paulo, Rio
de Janeiro, 34/Universidade Cândido Mendes, 2001.
GOMES, Heloísa Toller. As marcas da escravidão: o negro e o discurso oitocentista no
Brasil e nos Estados Unidos. Rio de Janeiro,EdUERJ, 2009.
GUIMARÃES, Antonio Sergio. Intelectuais negros e modernidade no Brasil. Oxford:
Centre for Brazilian Studies, 2004 (working paper).
____. Intelectuais negros e formas de integração nacional. Estudos Avançados, São
Paulo, v. 18, n. 50, 2004.
____. Resistência e revolta nos anos 60: Abdias do Nascimento. Revista USP, São
Paulo, n. 68, 2006.
____. Racismo e anti-racismo no Brasil. São Paulo: Editora 34, 2005

LEAL, Maria das Graças de Andrade. Manoel Querino: entre letras e lutas (1851-1923).
São Paulo, Annablume, 2010.
MATTOS, Hebe. Raça e cidadania no crepúsculo da modernidade escravista no Brasil. In:

GRIMBERG, Keila; SALLES, Ricardo. O Brasil Imperial. Volume III (1870-1889). Rio de
Janeiro, Civilização Brasileira, 2009.

_____. GRIMBERG, Keila. Lapidário de Si: Antônio Pereira Rebouças e a escrita de si.
In: GOMES, Ângela de Castro. (Org.). Escrita de Si Escrita da História. Rio de Janeiro,
FGV, 2004.
MENDONÇA, Joseli. Evaristo de Moraes, tribuno da república. Campinas, Ed. UNICAMP,
2007.
OLIVEIRA, Lucia Lippi. A sociologia do Guerreiro. Rio de Janeiro, Revan, 1995.
PESSANHA, Andréa Santos. Da abolição da escravidão à abolição da miséria: a vida e

as idéias de André Rebouças. Rio de Janeiro, Quartet, 2005

OBS,: as obras dos próprios intelectuais negros serão indicadas ao longo do curso, bem
como a bibliografia complementar.

DISCIPLINA: Oficinas de História – Laura Maciel

6 Jan

Professor: Laura Antunes Maciel

Disciplina:    OFICINAS DE HISTÓRIA

Código: GHT ???

Tipo: Instrumental

Eixo Cronológico: Linha Temática:

Período: 1/2011      Turma: N1               Horário: 3a: 18/20 – 5a: 18/20

Ementa: Reflexão crítica sobre prática de pesquisa em História. Exercícios práticos de análise documental e bibliográfica; Iniciação à redação de textos acadêmicos diversos.

 

________________Programa de Disciplina__________________________

Título do Programa:

 

Objetivos:

Proporcionar aos alunos situações concretas de iniciação à pesquisa histórica, confrontando possibilidades de abordagem com os procedimentos de análise documental;

Exercitar procedimentos metodológicos básicos de pesquisa e análise bibliográfica;

Iniciar os alunos nos requisitos e procedimentos para elaboração de textos acadêmicos de natureza diversa;

 

Unidades:

A pesquisa em história: problemas, fontes, métodos;

Arquivos, museus, bibliotecas: reconhecendo acervos e suas possibilidades;

Fontes de conhecimento histórico: tipologias documentais e procedimentos de análise;

Produzindo textos acadêmicos: seleção de argumentos, interpretação e construção de narrativas.

 

Bibliografia de Referência:

ALBERTI, Verena. Histórias dentro da História. IN: PINSKY, Carla B. (org.). Fontes históricas. São Paulo, Contexto, 2005.

AMORIM, Eliane Dutra. Arquivos, pesquisa e as novas tecnologias. IN: FARIA FILHO, Luciano(org.) Arquivos, fontes e novas tecnologias. Questões para a história da Educação. Campinas, Autores Associados, 2000.

BOSCHI, Caio César. Por que estudar História? São Paulo: Ática, 2007.

BOSCHI, Caio. O historiador e os arquivos históricos: um depoimento pessoal. História & Perspectivas, nº 20/21. Uberlândia: EDUFU, 1999.

CARR, Edward H. O que é história? Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1980 .

CERTEAU, Michel de. A Escrita da história. Rio de Janeiro, Forense Universitária, 1982.

CHESNEAUX, Jean. Devemos fazer tabula rasa do passado? São Paulo, Ática, 1995.

FENELON, Déa Ribeiro. “A formação do profissional de história e a realidade do ensino”. Projeto História, 2, São Paulo, PUC/SP, 1982.

FONTANA, Josep. História: Análise do passado e projeto social. Bauru/São Paulo, EDUSC, 1998.

HOBSBAWM, Eric J. Sobre História. Ensaios. São Paulo, Cia das Letras, 1998.

LARA, Sílvia Hunold. “Os documentos textuais e as fontes do conhecimento histórico”. Anos 90, Porto Alegre, v. 15, n. 28, dez. 2008.

LARA, Sílvia Hunold. “História, memória e museu”. Revista do Arquivo Municipal. São Paulo, Departamento do Patrimônio Histórico, n.200, 1991.

LARA, Sílvia. “Processos crime: o universo das relações sociais”. Anais do Museu Paulista, 33, 1984.

MATTOS, Ilmar Rohloff de (org.). Ler & escrever para contar. Documentação, historiografia e formação do historiador. Rio de Janeiro, Access. 1998.

SILVA, Marcos A. da (org.) – Repensando a História. 3a ed. Rio de Janeiro, Editora Marco Zero, s.d

SILVA, Marcos. História: o prazer em ensino e pesquisa. São Paulo, Brasiliense, 1995

VEYNE, Paul. Como se escreve a história. Brasília, UnB, 1998.

VIEIRA, Maria do Pilar de A. e outros. A pesquisa em história. São Paulo, Ática, 1989.

XAVIER, Regina. “A produção do conhecimento e sua apresentação: das fontes à elaboração do texto: o processo da escrita.” Diálogo. Canoas. La Salle, n.5, 2004.

Avaliação: (Procedimentos de avaliação)

1. Participação nas discussões e atividades durante as aulas;

2. Realização dos exercícios escritos;

3. Trabalho escrito individual a ser definido;

Observações:

As visitas técnicas a museus, arquivos e bibliotecas integrarão a carga horária da disciplina e serão realizadas em horários extras (no período da manhã ou tarde). Elas serão programadas e agendadas a partir das necessidades do curso e da disponibilidade dos alunos.

DISCIPLINA: História Moderna – Márcia Motta

6 Jan

Professora: MÁRCIA MOTTA

Disciplina: HISTÓRIA MODERNA

Tipo: —-BÁSICO—

Eixo Cronológico: Linha Temática:

Período:         –                      Turno: M     Horário: segunda das 09 às 13 horas

N                     segunda das 18 ás 22 horas

______________________________Programa de Disciplina__________________________

Título: HISTÓRIA MODERNA

Ementa:

§     : Formação e crise da sociedade de Antigo Regime e a Idéia da Revolução com base na produção historiográfica e ou fontes primárias relacionadas a um dos seguintes temas: a) Monarquia Absolutista, Mercantilismo e Sociedade de Ordens; b) Renascimento, Reforma e Revolução; c) Cidadania, Razão e Liberdade; d) Movimentos Sociais, culturais e protesto popular; e) Antigo Regime, crise e Revolução.

Objetivos: Discutir as principais marcas interpretativas em História Moderna. Analisar a produção historiográfica sobre absolutismo e mercantilismo. Discutir a relação entre Antigo Regime e protesto popular. Analisar a relação entre Antigo Regime, Reforma e Revolução.

Bibliografia Básica (máximo de 10 obras):

ANDERSON, Perry. Linhagens do Estado Absolutismo. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BURKE, Peter. A Fabricação do Rei – a construção da imagem pública de Luis XIV. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

CIPOLLA. Carlo M. História Econômica da Europa Pré-Industrial. Lisboa: Edições 70, 1984.

DELUMEAU, Jean. A Civilização do Renascimento. Lisboa Estampa, 1984.

DARNTON, Robert. Edição e Sedição – ou o universo da literatura clandestina no século XVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

ELIAS, Norbert. A Sociedade de Corte. Lisboa: Estampa, 1987.

HILL, Christopher. O mundo de ponta-cabeça – idéias radicais da Revolução Inglesa de 1640. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

VENTURI, Utopia e Reforma no Iluminismo. Bauru: Edusc, 2003.

VOVELLE, Michel. O Homem do Iluminismo. Lisboa: Presença, 1997.

WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. São Paulo: Pioneira, 1996.

DISCIPLINA: Imagem, Cultura e História – Silvana Louzada

6 Jan

Horário: SEG/QUA: 18/20h.

Profa. Dra. Silvana Louzada

 

SEMINÁRIO: Imagem, Cultura e História

EMENTA: Estudo da imagem como fenômeno moderno e contemporâneo. A representação da realidade sob a forma da imagem. Características das imagens. Cultura, percepção e imagem. Ontologia da imagem. A imagem tradicional e as imagens técnicas. A imagem como instrumento de representação e construção da história contemporânea.

 

Objetivo – Discutir as possibilidades de identificação e interpretação da imagem na sociedade contemporânea a partir da evolução das representações imagéticas. Instrumentalizar o aluno para reconhecer a importância da imagem no processo histórico permanente de construção da cultura.

 

Programa:

 

PARTE I – Elementos da História da Imagem

Ø  A imagem nas sociedades primitivas

Ø  A noção de perspectiva – superfície e profundidade

Ø  A câmera obscura

Ø  A fotografia inaugurando a era das imagens técnicas

Ø  O instantâneo e a apreensão do invisível

Ø  Imagem técnica e objetividade

Ø  Imagem e representação

 

PARTE II – Imagem, modernidade e contemporaneidade

Ø  A representação do real e a construção da realidade

Ø  Imagem técnica e produção de sentido na modernidade

Ø  A imagem nos meios de comunicação de massa

Ø  Leitura das imagens

Ø  Imagens fixas e em movimento

Ø  As novas tecnologias contemporâneas

 

 

Bibliografia preliminar:

 

BARTHES, Roland. A Câmara Clara. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1984.

_____ A mensagem fotográfica, in Teoria da comunicação de massa, Paz e Terra, Rio de Janeiro, 1978.

 

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In Obras Escolhidas. Vol. I. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1996.

_____ Pequena História da Fotografia. in: Obras Escolhidas. São Paulo, Brasiliense, 1995.

_____ Daguerre o los panoramas. In: sobre La fotografía, Valência: Pre-textos, 5ª ed, 2008.

 

BERGER, John. Modos de Ver. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 1999. pp 9 a 36

 

CRARY, Jonathan. In Charney & Schwartz (orgs.) O cinema e a invenção da vida moderna. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

_____ Suspensiones de La percepción:

 

LYSSOVSKY, A máquina de esperar: origem e estética da fotografia moderna. Rio de Janeiro: Mauad X, 2008.

 

MACHADO, Arlindo. In Flusser, Vilém. Ensaio Sobre a Fotografia: Para uma Filosofia da Técnica. (Filosofia  da Caixa Preta). Lisboa: Relógio D’Água Editores. 1998.

_____ O quarto iconoclasmo e outros ensaios hereges. Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos, 2001.

 

SINGER, Ben. Modernidade, hiperestímulo e o início do sensacionalismo popular. In: Charney, Leo; Schwartz, Vanessa (orgs.). O cinema e a invenção da vida moderna. São Paulo: Cossacnaify, s/d. PP.95 a 123

 

FLUSSER, Vilém . Filosofia da caixa preta. São Paulo: HUCITEC, 1985.

 

ROUILLÉ, André. A fotografia: entre o documento e a arte contemporânea. São Paulo: Senac, 2009.

 

SONTAG, Susan. Ensaios sobre a fotograifa. Rio de Janeiro: Arbor, 1981

_____ Diante da dor dos outros. São Paulo, Cia das Letras, 2003.

 

XAVIER, Ismail. Cinema: Revelação e Engano. In: Novaes, Adauto (org). O Olhar. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

DISCIPLINA: História da Fotografia – Silvana Louzada

6 Jan

Horário: SEG / QUA: 20/22h

 

Profa. Dra. Silvana Louzada

DISCIPLINA: História da fotografia

EMENTA

 

A eclosão da imagem técnica na primeira metade do século XIX representa o coroamento de diversos processos técnicos e culturais e transforma a relação do homem com o outro e altera sua forma de estar no mundo. Pela primeira vez na história é possível, através da imagem, alcançar lugares remotos e visualizar povos e culturas distantes.

O curso História da Fotografia analisa a produção fotográfica desde os primórdios até a atualidade, dimensionando as transformações que a nova linguagem instaura no cotidiano e no imaginário de parte do mundo ocidental e investigando as transformações inerentes ao desenvolvimento histórico da própria linguagem fotográfica.

Visa fornecer um amplo panorama da evolução da fotografia no mundo e no Brasil, abordando os principais movimentos artísticos, culturais e estéticos, assim como a evolução tecnológica da fotografia e seus desdobramentos.

 

OBJETIVOS

 

Fornecer subsídios para a análise histórica da produção fotográfica desde sua descoberta até a contemporaneidade, visando o entendimento da fotografia como resultado de processos culturais, artísticos e tecnológicos.

Examinar o desenvolvimento tecnológico e expressivo da linguagem, os principais fotógrafos, escolas e movimentos artísticos, assim como os principais movimentos documentais.

Relacionar a produção fotográfica contemporânea e as novas tecnologias com a história da fotografia.

Incitar a leitura crítica das imagens e o entendimento dos processos culturais e tecnológicos envolvidos em sua produção.

 

 

CONTEÚDO

Unidade 1 – As descobertas da fotografia e as primeiras tecnologias

1.1 – A Câmera Obscura e os processos fotoquímicos que precedem a invenção da fotografia.

1.2 – O despontar da fotografia no século XIX. Os principais inventores e a invenção isolada da fotografia no Brasil.

1.3 – O daguerreótipo e o processo negativo-positivo.

1.4 – Colódio úmido, placas secas, albumina: a busca do processo e do suporte ideais.

1.5 – A evolução tecnológica: objetivas, revelação e sensibilidade.

Unidade 2 – Tendências fotográficas no século XIX

2.1 – A descoberta fotográfica do mundo e a busca de imagens exóticas. A fotografia explora o globo.

2.2 – As expedições científicas e a fotografia no Brasil

2.3 – Fotografia e Guerra – limitações tecnológicas e censura. O público e as imagens sensacionais.

2.4 – A fotografia e as ciências: antropologia, medicina e astronomia.

2.5 – Retrato, nu,  medicina e identificação policial.

2.6 – A popularização da fotografia: Disdéri e o cartão de visita fotográfico.

2.7 – Captando o movimento: Marrey e Muybridge.

 

Unidade 3 – A fotografia como fenômeno de massa

3.1 – A Kodak nº 1: “Você aperta o botão, nós fazemos o resto”. O surgimento da fotografia amadora.

3.2 – O halftone e a reprodução direta da fotografia na imprensa.

3.3 – Ermanox e Leica: a liberação do fotógrafo.

3.4 – O instantâneo e a liberdade de fotografar

 

Unidade 4 – fotografia moderna e vanguardas: a fotografia como arte.

4.1 – O pictorialismo e a Photo Secession. Fotografia e arte.

4.2 – A Galeria 291 e a revista Camera Work.  A straight photography.

4.3 – A fotografia moderna no Brasil. Os fotoclubes.

4.3 – Dadaísmo e surrealismo.

 

Unidade 5 – A fotografia de documentação social e o fotojornalismo

5.1 – Os precurssores: Jacob Hiis e Lewis Hine.

5.2 ­– O fotodocumentarismo a serviço do Estado: o Farm Security Administration e a experiência da expedição Rondon.

5.3 – A guerra como tema privilegiado: a Guerra Civil Espanhola, a II Guerra Mundial e a Guerra do Vietnã.

5.4 – As revistas ilustradas; a revista Life e O Cruzeiro.

5.5 – A Agência Magnum e o novo estatuto do fotógrafo.

5.6 – A fotografia e os jornais diários

5.7 – As agências independentes no Brasil.

5.8 ­– A fotografia documental e a imersão no objeto.

 

Unidade 6 – A fotografia contemporânea e as novas tecnologias

6.1. Fotografia e arte: multiplicidade de suportes e hibridização da linguagem.

6.2. Os suportes digitais e suas implicações.

6.3. A história da fotografia, técnica e linguagem, o fotógrafo do século XXI.

Bibliografia Preliminar

 

FABRIS, Annateresa (org). Fotografia: usos e funções no Século XIX. São Paulo: Edusp, 1991. páginas.

FERNANDES JUNIOR, Rubens Labirinto e identidades: panorama da fotografia no Brasil [1946-98], Cosac & Naif, São Paulo, 2003.

KOSSOY, Boris Hercules Florence – 1833: a descoberta isolada da Fotografia no Brasil Faculdade de Comunicação Social Anhembi – SP – 1977

____Origens e expansão da fotografia no Brasil – século XIX, Mec:Funarte, RJ, 1980.

MAUAD, Ana Maria. O Olho da História: fotojornalismo e a invenção do Brasil contemporâneo In: História e Imprensa: representações culturais e práticas de poder. 1ª ed. Rio de Janeiro : Faperj/DP&A Editora, 2006, v.1, p. 365-385.

SONTAG, Susan. Diante da Dor dos Outros. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SOUSA, Jorge Pedro. Uma História Crítica do Fotojornalismo Ocidental. Chapecó: Grifos; Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2000.

VASQUES, Pedro D.Pedro II e a fotografia no Brasil, Fund.Roberto Marinho:Companhia Internacional de Seguros, RJ, 1993.

____A Fotografia no Império, Coleção Descobrindo do Brasil, Zahar, Rio de Janeiro, 2002