Arquivo | [Contemporânea] RSS feed for this section

DISCIPLINA: Intelectuais negros brasileiros: identidade, nação, projetos políticos e modernidade (séc. XIX e XX) – Carolina Vianna Dantas

6 Jan

Seminário em História da Cultura e das Mentalidades XI (GHT 04352)
Disciplina: Intelectuais negros brasileiros: identidade, nação, projetos políticos e
modernidade (séc. XIX e XX)
Docente: Carolina Vianna Dantas
Dia/Horário: 2ª e 4ª / 18-20h
Ementa: tema monográfico
Objetivos: Esse curso tratará das formas como alguns intelectuais negros brasileiros
viveram a experiência do racismo, da integração, da cidadania e da modernidade.
Também serão discutidos os projetos políticos, nacionais e de intervenção, as críticas
sociais e abordagens da questão racial encaminhados por esses mesmos intelectuais,
através de suas próprias obras e trajetórias, bem como da historiografia pertinente.
Unidades:
1) O “lugar” dos intelectuais negros brasileiros: sociabilidades, cânones e memórias
2) Os dilemas da “dupla consciência”: modernidade, nação, projetos políticos e
identidades
3) A experiência do racismo
4) Nas tramas da vida e da obra de: Luiz Gama; André Rebouças; José do Patrocínio;
Evaristo de Moraes; Lima Barreto; Juliano Moreira; Manoel Querino; Guerreiro Ramos;
Carolina de Jesus; Abdias do Nascimento.
5) Intelectuais negros brasileiros e a questão da “modernidade negra”
Dinâmica das aulas: o curso está baseado em aulas expositivas, abertas a diálogos e
debates na medida do interesse e da demanda da turma. Alguns filmes também estão
previstos.
Avaliação: um trabalho individual a ser entregue ao final da unidade 3, que consistirá
em responder a uma questão formulada pela professora (5,0); um trabalho monográfico
individual, a ser entregue ao final do semestre, sobre um dos intelectuais tratados ao
longo do curso. Esse trabalho deve, obrigatoriamente, incluir a análise de alguma fonte,
ou seja, uma obra do autor escolhido (crônicas, poesias, romance, ensaio, discurso,
autobiografia, etc.) (5,0).
Bibliografia básica:
AZEVEDO, Elciene. Orfeu de carapinha. A trajetória de Luiz Gama na imperial cidade
de São Paulo. Campinas, Editora da Unicamp, 1999.
CARVALHO, Maria Alice Rezende de. Intelectuales Negros en el Brasil del Siglo XIX.
In: ALTAMIRANO, Carlos; MYERS, Jorge. (Org.). Historia de los Intelectuales en
America Latina. Buenos Aires/Madrid, Katz Editores, 2008,
____. O quinto século. André Rebouças e a construção do Brasil. Rio de Janeiro, Revan,
1998
DOMINGUES, Petrônio. A “Vênus negra”: Josephine Baker e a modernidade afro-
atlântica. Estudos Históricos, vol. 23, n° 45, jan-jun 2010.
GILROY, Paul. O Atlântico Negro: modernidade e dupla consciência. São Paulo, Rio
de Janeiro, 34/Universidade Cândido Mendes, 2001.
GOMES, Heloísa Toller. As marcas da escravidão: o negro e o discurso oitocentista no
Brasil e nos Estados Unidos. Rio de Janeiro,EdUERJ, 2009.
GUIMARÃES, Antonio Sergio. Intelectuais negros e modernidade no Brasil. Oxford:
Centre for Brazilian Studies, 2004 (working paper).
____. Intelectuais negros e formas de integração nacional. Estudos Avançados, São
Paulo, v. 18, n. 50, 2004.
____. Resistência e revolta nos anos 60: Abdias do Nascimento. Revista USP, São
Paulo, n. 68, 2006.
____. Racismo e anti-racismo no Brasil. São Paulo: Editora 34, 2005

LEAL, Maria das Graças de Andrade. Manoel Querino: entre letras e lutas (1851-1923).
São Paulo, Annablume, 2010.
MATTOS, Hebe. Raça e cidadania no crepúsculo da modernidade escravista no Brasil. In:

GRIMBERG, Keila; SALLES, Ricardo. O Brasil Imperial. Volume III (1870-1889). Rio de
Janeiro, Civilização Brasileira, 2009.

_____. GRIMBERG, Keila. Lapidário de Si: Antônio Pereira Rebouças e a escrita de si.
In: GOMES, Ângela de Castro. (Org.). Escrita de Si Escrita da História. Rio de Janeiro,
FGV, 2004.
MENDONÇA, Joseli. Evaristo de Moraes, tribuno da república. Campinas, Ed. UNICAMP,
2007.
OLIVEIRA, Lucia Lippi. A sociologia do Guerreiro. Rio de Janeiro, Revan, 1995.
PESSANHA, Andréa Santos. Da abolição da escravidão à abolição da miséria: a vida e

as idéias de André Rebouças. Rio de Janeiro, Quartet, 2005

OBS,: as obras dos próprios intelectuais negros serão indicadas ao longo do curso, bem
como a bibliografia complementar.

DISCIPLINA: Abolicionismos em perspectiva comparada: BR e EUA – Larissa Viana

6 Jan

Disciplina: Abolicionismos em perspectiva comparada: Brasil e Estados Unidos

Eixo: História da Cultura e Mentalidades

Docente: Larissa Viana

Horário: 3ª e 5ª  /  9-11h.

 

Ementa: Esta disciplina discutirá o abolicionismo em perspectiva Atlântica, através do exame das relações entre Inglaterra, Brasil e Estados Unidos na construção de diferentes linguagens e práticas sobre a emancipação da escravidão ao longo do século XIX. Sob o ponto de vista mais local, o curso examinará as trajetórias sócio-políticas  de diferentes atores envolvidos no contexto da abolição e do pós-emancipação no Brasil e nos Estados Unidos: Joaquim Nabuco, Luiz Gama, André Rebouças, W.E.B. Du Bois, entre outros.

A disciplina interessará aos alunos que buscam discutir a historiografia sobre o tema, e sobretudo, atenderá àqueles que desejam explorar fontes primárias e filmografia contemporânea concernentes ao assunto.

Avaliação: Será combinada no primeiro dia de aula, considerando o número de alunos inscritos. Em linhas gerais, pretende-se que a avaliação consista em apresentação de texto em sala, seminário oral  e relatório escrito do referido seminário (em grupo). 

Bibliografia básica:

 

Azevedo, Celia Marinho de.  Abolicionismo: Estados Unidos e Brasil, uma história comparada, século XIX. São Paulo: Annablume, 2003.

 

Azevedo, Elciene. Orfeu de carapinha. A trajetória de Luiz Gama na imperial cidade de São Paulo. Campinas : Editora da Unicamp, 1999.

 

Bethell, Leslie; Carvalho, José Murilo. Joaquim Nabuco e os abolicionistas britânicos. Rio de Janeiro: Topbooks, 2008.

 

Blackburn, Robin. A queda do escravismo colonial, 1776-1848. Rio de Janeiro: Record, 2002.

Costa, Emilia Viotti da. A abolição. São Paulo: Ed. Unesp, 2008.

Cunha, Olivia Maria Gomes da.;Gomes,  Flavio dos Santos . Quase Cidadão. Rio de Janeiro: Ed. da Fundação Getúlio Vargas, 2007.

 

Du Bois, W.E.B.  As Almas da Gente Negra (tradução, introdução e notas de Heloisa Toller Gomes). Rio de Janeiro: Lacerda Ed., 1999.

 

Gilroy, Paul. O Atlântico Negro, modernidade e dupla consciência. Rio de Janeiro: UCAM/Editora 34, 2001.

 

Gomes, Flavio dos Santos; Soares, Carlos E. L. “Sedições, haitianismo e conexões no Brasil: outras margens do Atlântico negro. Novos Estudos. CEBRAP, São Paulo, v. 63, pp. 131-144, 2002.

 

Grinberg, Keila. “Alforria, Direito e Direitos no Brasil e nos Estados Unidos”. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 27, pp. 63-83, 2001.

 

Horne, Gerald.  O Sul mais distante: Os Estados Unidos, o Brasil e o tráfico de escravos africanos. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

 

Machado, Maria Helena. O plano e o pânico: os movimentos sociais na década da abolição. São Paulo: Edusp, 1994.

Mendonça, Joseli  Maria Nunes. Entre a mão e os anéis: a Lei dos sexagenários e os caminhos da abolição no Brasil. Campinas: Ed. da Unicamp, 1999.

 

Nabuco, Joaquim. O Abolicionismo. Brasília: Editora UNB, 2003.

 

Pereira, Amilcar Araujo.  “O Mundo Negro”: A constituição do movimento negro contemporâneo no Brasil. Tese de Doutorado, Dep. de Historia, UFF, 2010.

 

Petrônio, José Domingues, “A visita de um afro-americano ao paraíso racial”. Revista de História (USP). Vol. 155 (2ª), pp. 161-181, 2006.

 

Reis, João; Gomes, Flavio dos Santos; Carvalho, Marcus J. M. de.  O Alufá Rufino. Tráfico, Escravidão e Liberdade no Atlântico Negro (1822-1853). São Paulo: Cia das Letras, 2010.

 

Rocha, Antonio Penalves. Abolicionistas brasileiros e ingleses: a coligação entre Joaquim Nabuco e a British Anti – Slavery Society (1880-1902). São Paulo: Ed. Unesp, 2008.

 

Silva, Eduardo. As camélias do Leblon e a abolição da escravatura: uma investigação de história cultural. São Paulo: Cia. das Letras, 2003.

DISCIPLINA: A representação do passado no cinema latinoamericano dos anos 1980 – Alcilene Cavalcantte

6 Jan

Disciplina: A representação do passado no cinema latinoamericano dos anos 1980

Professora: Alcilene Cavalcante

Horário: 3ª e 5ª das 9h às 11h

Observação: as aulas de 5ª feira devem ser realizadas em sala que disponha de  recursos audiovisuais (Projetor, DVD, TV…)

 

Ementa: Nesse curso, abordaremos a relação entre História e Cinema, destacando a especificidade do filme como fonte histórica, bem como a representação do passado em filmes realizados no Brasil e na Argentina na década de 1980.

 

Bibliografia

 

CAPELATO, Maria Helena; MORETTIN, Eduardo; NAPOLITANO, Marcos; SALIBA, Elias T. (orgs). História e Cinema. São Paulo: Alameda, 2007.

 

CARDOSO, Ciro Flamarion; MAUAD, Ana Maria. História e Imagem: os exemplos da fotografia e do cinema. In: CARDOSO, Ciro Flamarion, VAINFAS, Ronaldo (orgs). Domínios da História: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

 

CHARTIER, Roger. A História Cultural entre práticas e representações. Col. Memória e sociedade. Trad. Maria Manuela Galhardo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990

 

FELD, Claudia; MOR, Jessica Stites (comp.) El pasado que miramos: memória e imagen ante la historia reciente. Buenos Aires: Paidós, 2009

 

FERRO, Marc. Cinema e História. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

KORNIS, Mônica Almeida. Cinema, Televisão e História. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008.

 

LAGNY, Michèle. Cine y Historia. Problemas y métodos en la investigación cinematográfica. Barcelona: Bosch Casa Editorial, 1997.

 

LOPES, Antonio Herculano; VELLOSO, Monica; PESAVENTO, Sandra (orgs.). História e Linguagens: texto, imagem oralidade e representações. Rio de Janeiro: 7Letras, 2006.

 

NÓVOA, Jorge; FRESSATO, Soleni Biscouto; FEIGELSON, Kristian (orgs). Cinematógrafo: um olhar sobre a história. Salvador: EDUFBA; São Paulo: Editora da UNESP, 2009.

 

RAMOS, Alcides Freire. Canibalismo dos fracos. Cinema e história no Brasil. Bauru, São Paulo: EDUSC, 2002.

 

ROSENSTONE, Robert. A história nos filmes, os filmes na história. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

 

 

DISCIPLINA: História da Fotografia – Silvana Louzada

6 Jan

Horário: SEG / QUA: 20/22h

 

Profa. Dra. Silvana Louzada

DISCIPLINA: História da fotografia

EMENTA

 

A eclosão da imagem técnica na primeira metade do século XIX representa o coroamento de diversos processos técnicos e culturais e transforma a relação do homem com o outro e altera sua forma de estar no mundo. Pela primeira vez na história é possível, através da imagem, alcançar lugares remotos e visualizar povos e culturas distantes.

O curso História da Fotografia analisa a produção fotográfica desde os primórdios até a atualidade, dimensionando as transformações que a nova linguagem instaura no cotidiano e no imaginário de parte do mundo ocidental e investigando as transformações inerentes ao desenvolvimento histórico da própria linguagem fotográfica.

Visa fornecer um amplo panorama da evolução da fotografia no mundo e no Brasil, abordando os principais movimentos artísticos, culturais e estéticos, assim como a evolução tecnológica da fotografia e seus desdobramentos.

 

OBJETIVOS

 

Fornecer subsídios para a análise histórica da produção fotográfica desde sua descoberta até a contemporaneidade, visando o entendimento da fotografia como resultado de processos culturais, artísticos e tecnológicos.

Examinar o desenvolvimento tecnológico e expressivo da linguagem, os principais fotógrafos, escolas e movimentos artísticos, assim como os principais movimentos documentais.

Relacionar a produção fotográfica contemporânea e as novas tecnologias com a história da fotografia.

Incitar a leitura crítica das imagens e o entendimento dos processos culturais e tecnológicos envolvidos em sua produção.

 

 

CONTEÚDO

Unidade 1 – As descobertas da fotografia e as primeiras tecnologias

1.1 – A Câmera Obscura e os processos fotoquímicos que precedem a invenção da fotografia.

1.2 – O despontar da fotografia no século XIX. Os principais inventores e a invenção isolada da fotografia no Brasil.

1.3 – O daguerreótipo e o processo negativo-positivo.

1.4 – Colódio úmido, placas secas, albumina: a busca do processo e do suporte ideais.

1.5 – A evolução tecnológica: objetivas, revelação e sensibilidade.

Unidade 2 – Tendências fotográficas no século XIX

2.1 – A descoberta fotográfica do mundo e a busca de imagens exóticas. A fotografia explora o globo.

2.2 – As expedições científicas e a fotografia no Brasil

2.3 – Fotografia e Guerra – limitações tecnológicas e censura. O público e as imagens sensacionais.

2.4 – A fotografia e as ciências: antropologia, medicina e astronomia.

2.5 – Retrato, nu,  medicina e identificação policial.

2.6 – A popularização da fotografia: Disdéri e o cartão de visita fotográfico.

2.7 – Captando o movimento: Marrey e Muybridge.

 

Unidade 3 – A fotografia como fenômeno de massa

3.1 – A Kodak nº 1: “Você aperta o botão, nós fazemos o resto”. O surgimento da fotografia amadora.

3.2 – O halftone e a reprodução direta da fotografia na imprensa.

3.3 – Ermanox e Leica: a liberação do fotógrafo.

3.4 – O instantâneo e a liberdade de fotografar

 

Unidade 4 – fotografia moderna e vanguardas: a fotografia como arte.

4.1 – O pictorialismo e a Photo Secession. Fotografia e arte.

4.2 – A Galeria 291 e a revista Camera Work.  A straight photography.

4.3 – A fotografia moderna no Brasil. Os fotoclubes.

4.3 – Dadaísmo e surrealismo.

 

Unidade 5 – A fotografia de documentação social e o fotojornalismo

5.1 – Os precurssores: Jacob Hiis e Lewis Hine.

5.2 ­– O fotodocumentarismo a serviço do Estado: o Farm Security Administration e a experiência da expedição Rondon.

5.3 – A guerra como tema privilegiado: a Guerra Civil Espanhola, a II Guerra Mundial e a Guerra do Vietnã.

5.4 – As revistas ilustradas; a revista Life e O Cruzeiro.

5.5 – A Agência Magnum e o novo estatuto do fotógrafo.

5.6 – A fotografia e os jornais diários

5.7 – As agências independentes no Brasil.

5.8 ­– A fotografia documental e a imersão no objeto.

 

Unidade 6 – A fotografia contemporânea e as novas tecnologias

6.1. Fotografia e arte: multiplicidade de suportes e hibridização da linguagem.

6.2. Os suportes digitais e suas implicações.

6.3. A história da fotografia, técnica e linguagem, o fotógrafo do século XXI.

Bibliografia Preliminar

 

FABRIS, Annateresa (org). Fotografia: usos e funções no Século XIX. São Paulo: Edusp, 1991. páginas.

FERNANDES JUNIOR, Rubens Labirinto e identidades: panorama da fotografia no Brasil [1946-98], Cosac & Naif, São Paulo, 2003.

KOSSOY, Boris Hercules Florence – 1833: a descoberta isolada da Fotografia no Brasil Faculdade de Comunicação Social Anhembi – SP – 1977

____Origens e expansão da fotografia no Brasil – século XIX, Mec:Funarte, RJ, 1980.

MAUAD, Ana Maria. O Olho da História: fotojornalismo e a invenção do Brasil contemporâneo In: História e Imprensa: representações culturais e práticas de poder. 1ª ed. Rio de Janeiro : Faperj/DP&A Editora, 2006, v.1, p. 365-385.

SONTAG, Susan. Diante da Dor dos Outros. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SOUSA, Jorge Pedro. Uma História Crítica do Fotojornalismo Ocidental. Chapecó: Grifos; Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2000.

VASQUES, Pedro D.Pedro II e a fotografia no Brasil, Fund.Roberto Marinho:Companhia Internacional de Seguros, RJ, 1993.

____A Fotografia no Império, Coleção Descobrindo do Brasil, Zahar, Rio de Janeiro, 2002