Archive | [Básico] RSS feed for this section

DISCIPLINA: Teoria, Métodos e Historiografia – Mario Grynszpan

6 Jan

Professor: Mario Grynszpan

Disciplina: Teoria, Métodos e Historiografia (TMH)

Tipo: ——-

Eixo Cronológico: Linha Temática:

Período: 1-2011                       Turno: Manhã Horário: 2ª e 4ª

______________________________Programa de Disciplina__________________________

Título: Teoria, Métodos e Historiografia (TMH)

Ementa:

Objetivos: O objetivo do curso é discutir alguns dos principais percursos trilhados pela disciplina histórica na segunda metade do século XX, partindo de um paradigma estrutural e caminhando até a sua ruptura. Serão estudadas novas vertentes da historiografia que se afirmaram a partir da crítica ao estruturalismo, como a nova história social, a nova história política, a história cultural, a micro-história, o novo historicismo, o contextualismo lingüístico, entre outras. Essas vertentes historiográficas serão analisadas a partir de suas bases teóricas, o que permitirá, ao mesmo tempo, avaliar suas implicações metodológicas.

Bibliografia Básica (máximo de 10 obras):

Boutier, Jean e Julia, Dominique, orgs. Passados recompostos. Campos e canteiros da história. Rio de Janeiro, Editora UFRJ/Editora FGV, 1998.

Burke, Peter (org.). A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo, Editora da UNESP, 1992.

Chartier, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa, Difel, 1990.

Darnton, Robert. “História intelectual e cultural”. In: _____. O beijo de Lamourette: mídia, cultura e revolução. São Paulo, Companhia das Letras, 1990. pp. 175-197.

Greenblat, Stephen. “O novo historicismo: ressonância e encantamento”. Estudos Históricos, v. 4, n. 8: 244-261, 1991.

Koselleck, Reinhart. “História dos conceitos e história social”. In: Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro, Editora PUC-Rio, 2006. pp. 97-118.

Pocock, J. G. A. “O conceito de linguagem e o métier d’historien: algumas considerações sobre a prática”. In: _____. As linguagens do ideário político. São Paulo, Edusp, 2003. pp. 63-82.

Rémond, René (org.). Por uma história política. Rio de Janeiro, Editora FGV, 2003.

Revel, Jacques (org.). Jogos de escalas: a experiência da microanálise. Rio de Janeiro, Editora FGV, 1998.

Thompson, E. P. “Introdução: costume e cultura”. In: _____. Costumes em comum. São Paulo, Companhia das Letras, 1998. pp. 13-24.

DISCIPLINA: Introdução aos Estudos Históricos – Mario Grynszpan

6 Jan

Professor: Mario Grynszpan

Disciplina: Introdução aos Estudos Históricos (IEH)

Tipo: ——-

Eixo Cronológico: Linha Temática:

Período: 1-2011                       Turno: Manhã Horário: 2ª e 4ª

______________________________Programa de Disciplina__________________________

Título: Introdução aos Estudos Históricos (IEH)

Ementa:

Objetivos: O objetivo básico desta disciplina é promover uma primeira socialização dos alunos em questões relativas ao ofício do historiador, à natureza da disciplina histórica de maneira mais ampla, refletindo sobre alguns de seus conceitos e noções estruturadores como tempo, memória e documento, entre outros. A reflexão sobre conceitos e noções servirá de base a uma discussão sobre correntes da historiografia.

Bibliografia Básica (máximo de 10 obras):

Bloch, Marc. “A história, os homens e o tempo”. In: _____. Introdução à história. 2a Lisboa, Publicações Europa-América, 1974. pp. 24-46.

Bourdé, Guy e Martin, Hervé. As escolas históricas. Lisboa, Publicações Europa-América, 1990.

Braudel, Fernand. “História e ciências sociais. A longa duração”. In: _____. Escritos sobre a história. São Paulo, Perspectiva, 1978. pp. 41-78.

Burke, Peter. “A história dos acontecimentos e o renascimento da narrativa”. In: _____, org. A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo, Editora da UNESP, 1992. pp. 327-348.

Certeau, Michel de . “Fazer História” e “A operação historiográfica”. In: _____. A escrita da História. Rio de Janeiro, Forense Universitária, 1982. pp. 31-119.

Finley, Moses I. “Mito, memória e história”. In: _____. Uso e abuso da história. São Paulo, Martins Fontes, 1989. pp. 3-27.

Furret, François. “Prefácio”. In: _____. A oficina da história. Lisboa, Gradiva, s/d. pp. 7-37.

Hobsbawm, Eric. “O sentido do passado”. In: Sobre história. São Paulo, Companhia das Letras, 1998. pp. 22-35.

Revel, Jacques. “História e ciências sociais: os paradigmas dos Annales”. In: _____. A invenção da sociedade. Lisboa, Difel, s/d. pp. 13-47.

DISCIPLINA: História Contemporânea I – Daniel Aarão

6 Jan

História Contemporânea I/GHT 04128

2011/Primeiro semestre

Terças e quintas-feiras: 09 às 11 hs.

Professor Daniel Aarão Reis

 

Ementa

As grandes revoluções que abriram caminho para a sociedade capitalista e liberal: a revolução americana e a revolução francesa. O longo século XIX: 1776/1789-1914.  O liberalismo. Doutrina e práticas. A democracia e as lutas democráticas: doutrinas e práticas. O Estado e seu crescente papel social. Movimento operário, sindicalismo e socialismo. As revoluções de 1848, a Comuna de Paris e as Internacionais Operárias. O processo de urbanização: a evolução das contradições campo-cidade. A questão nacional e o movimento das nacionalidades. Os processos de unificação nacional: Itália e Alemanha. A Europa, a Ásia e a África: o processo da expansão colonial – imperialismo e internacionalização do Capital.  A segunda grande revolução científico-tecnológica e a transformação do mundo. As modernidades alternativas: Alemanha, Rússia, Japão e China.

 

Unidades

Unidade 1: As grandes revoluções e o liberalismo

Unidade 2: Questão nacional, democracia e socialismo

Unidade 3: A segunda grande revolução científico-tecnológica: a expansão colonial européia

Unidade 4: As modernidades alternativas aos modelos liberais

 

Avaliação de conhecimentos

. trabalhos orais

. trabalhos escritos para a página do Núcleo de Estudos Contemporâneos/NEC

 

Assiduidade

. haverá controle rigoroso da assiduidade, não sendo permitida, salvo os casos previstos em Lei, a ultrapassagem da barreira legal das 25% das faltas

. ausências eventuais do professor serão repostas

 

Temas para trabalhos orais e para os trabalhos escritos

. Considerar temas do programa,  textos de apoio (a serem apresentados na primeira aula) e bibliografia (indicações grifadas)

 

 

 

Bibliografia

 

Aarão Reis, D., Azevedo, C., Ferreras, N. , Farias, R., Bruce, M. e Neiva, G. Outras modernidades. 2009, Ed. FGV, Rio de Janeiro

Agulhon, M. 1848, o aprendizado da república. Paz e Terra, SP, 1991

Arendt, H. Da revolução. Atica/UNB, Brasília, 1982

————– As origens do totalitarismo. São Paulo, Companhia das Letras, 1989

Barraclough, G. Introdução à História Contemporânea. Ed. Guanabara, Rio de Janeiro, 1987

Berlin, I. Pensadores russos. São Paulo, Companhia das Letras, 1988

Berman, M. Tudo que é sólido desmancha no ar. 1986, Companhia das Letras, São Paulo

Boito Jr., A. (org.) A Comuna de Paris na História. 2001, Cemarx, IFCH/UNICAMP, Campinas

Bresciani, M.S. Londres e Paris no século XIX, o espetáculo da pobreza. Brasiliense, SP, 1989

Bruit, H.H. O imperialismo. Atual, São Paulo, 1994

Brunschwig, H. A partilha da África negra. São Paulo, Perspectiva, 1993

Burke, E. Reflexões sobre a revolução francesa. Brasília, UNB, 1969

Cavalcante, B. A revolução francesa e a modernidade. São Paulo, Contexto, 1991

Chesneaux, J. Ásia Oriental nos séculos XIX e XX. Pioneira, SP, 1982

A revolta dos camponeses. Ulissea, Lisboa, 1975

Claudin, F. Marx, Engels y la revolución de 1848. Ed. Siglo XXI, Mexico, 1975

Conrad, J. O coração da treva. São Paulo, Brasiliense, 1984.

Darnton, R. 1996. O lado oculto da revolução. São Paulo, Companhia das Letras

Daumard, A. 1992. Os burgueses e a burguesia na França. Martins Fontes, São Paulo

De Decca, E. O colonialismo como glória do império. In Reis, Daniel; Ferreira, J. e Zenha Celeste (orgs.) História do Século XX. Rio de Janeiro, Record, 2003 (2a edição), volume 1, pp. 151-181

Duroselle, J.B. A Europa, de 1815 aos nossos dias. Pioneira, SP, 1984

Elias, N. Os alemães. 1997, J. Zahar, Rio de Janeiro

Facina, A. e Castro, R.F. As resistências dos povos à partilha do mundo. In Reis, Daniel; Ferreira, J. e Zenha Celeste (orgs.) História do Século XX. Rio de Janeiro, Record, 2003 (2a edição), volume 1, pp. 211-229

Ferro, M. Falsificações da História. Lisboa, Europa-América, s/d

Falcón, F.J.C. O capitalismo unifica o mundo. In Reis, Daniel; Ferreira, J. e Zenha Celeste (orgs.) História do Século XX. Rio de Janeiro, Record, 2003 (2a edição), volume 1, pp. 11-76

Furet, F. Pensando a revolução francesa, Paz e Terra, São Paulo, 1989

———– e Ozuf, M. (orgs.) Dicionário crítico da revolução francesa. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1989

Gay, Peter. O cultivo do ódio: a experiência burguesa da rainha Vitória a Freud. São Paulo, Companhia das Letras, 1995

Godechot, J. As revoluções, 1770-1799. Pioneira, SP, 1976

Heale, M.P.J. A revolução americana. São Paulo, Atica, Coleção Princípios

Hill, C. O mundo de ponta-cabeça. Cia. das Letras, SP, 1987

Hobsbawn, E. A era das revoluções. Paz e Terra, RJ, 1972

—————— A era do capital. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1982

——————-(org.) História do Marxismo. Paz e Terra, SP, 1982-1986,    vols. I-II

——————- Os trabalhadores. Paz e Terra, RJ, 1981

——————- Revolucionários. Paz e Terra, RJ, 1982

——————- Mundos do Trabalho. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987

——————- A invenção das tradições. Paz e Terra, SP, 1984

——————- Ecos da Marselhesa. Companhia das Letras, SP, 1996

——————-Da revolução industrial ao imperialismo. Rio de Janeiro, Forense, 1978

——————-A era dos impérios. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1989

Iglesias, F. A Revolução Industrial. Brasiliense, SP, 1981

Ingerflom, C.S.N. A modernidade sem Estado: por uma história política descentralizada. In Aarão Reis, D., Mattos, H., Oliveira, J.P., Moraes, L.E. de S. E Ridenti, M. Tradições e Modernidades. 2010, Ed. FGV, Rio de Janeiro

Lefebvre, G. O grande medo de 1789. Campus, RJ, 1979

1789, o surgimento da revolução francesa. Paz e Terra, SP, 1989

Lenin, V. I. O imperialismo, estágio superior do capitalismo.

Linhares, M. Y. A luta contra a metrópole. Brasiliense, SP, 1981

Lowy, Michael e Sayre, R. Revolta e melancholia. O romantismo na contramão da modernidade. Petrópolis, Vozes, 1995

Mayer, A. A força da tradição: a persistência do Antigo Regime, 1848/1914. São Paulo, Companhia das Letras, 1987

Martinho, F.C.P. Resistências ao capitalismo: plebeus, operários e mulheres. In Reis, Daniel; Ferreira, J. e Zenha Celeste (orgs.) História do Século XX. Rio de Janeiro, Record, 2003 (2a edição), volume 1, pp. 183-210

Marx, K. O 18 Brumário de Luis Bonaparte. Escriba, SP, 1968

O Manifesto Comunista

A guerra civil na França. In Obras Escolhidas, vol. 2, Ed. Alfa-Omega, SP, s/d, pp 39-103

Michelet, J. História da revolução francesa. São Paulo, Companhia das Letras, 1989

Moore Jr. B. Injustiça, as bases sociais da obediência e da revolta. Ed. Brasiliense, São Paulo, 1987

As origens sociais da ditadura e da democracia. Ed. Martins Fontes, Lisboa, 1983

Perrot, M. Os excluídos da História: operários, mulheres e prisioneiros. São Paulo, Brasiliense, 1987

Reis Fº, D. Comuna de Paris: última revolução plebéia ou primeira revolução proletária? in Revista da ADUEL, vol. 2, nº 2, julho/dezembro de 1997, Londrina, Paraná

————— (org.) O Manifesto Comunista, 150 anos. Contraponto, RJ, 1998

—————(org. c/ Jorge Ferreira e Celeste Zenha): História do Século XX, 2000, Rio de Janeiro, Record, volume 1

Revista da ADUEL: 125 anos da Comuna de Paris. Vol. 2, nº 2, julho/dezembro de 1997, Londrina, Paraná

Rodrigues, A.E.M. As revoluções burguesas. In Reis, Daniel; Ferreira, J. e Zenha Celeste (orgs.) História do Século XX. Rio de Janeiro, Record, 2003 (2a edição), volume 1, pp. 77-150

Rudé, G. A multidão na História. Rio de Janeiro, Campus, 1991

Said, E.W. Cultura e imperialismo. São Paulo, Companhia das Letras, 1995

Sellers, C., McMillen, R., May, H.  Uma reavaliação da história dos EUA. Rio de Janeiro, Zahar, 1990

Schumpeter, J.A. Imperialismo e classes sociais. Rio de Janeiro, Zahar, 1961

Skopol, T. Estados e revoluções sociais. Ed. Presença, Lisboa, 1985

Soboul, A. História da Revolução Francesa. DIFEL, SP, 1979

Spence, J. Em busca da China moderna. São Paulo, Companhia das Letras, 1995

Thompson, E. P. A formação da classe operária inglesa. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987 (3 vols.)

——————— As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. In A.L. Negro e S. Silva (orgs.), Campinas, Unicamp, 2001

Tocqueville, A. L’ancien régime et la révolution. Gallimard, Paris, 1967

——————– 1998 (4a edição). A democracia na América. Itatiaia, Belo Horizonte

 

Indicações bibliográficas suplementares serão apresentadas no início do Curso, em março de 2011

 

 

 

 

 

 

História Contemporânea I

2011 – primeiro semestre

Prof. Daniel Aarão Reis

 

Referências para a elaboração dos trabalhos escritos

 

.  considerar o público alvo: estudantes e professores do ensino médio

. a temática deve ser escolhida no âmbito do grande século XIX: da revolução americana ao início da I Grande Guerra

. texto autoral,  conciso, claro, linguagem simples e cuidada; preferir a narrativa densa a debates conceituais

. quando for o caso de citar autores, não deixar de relacioná-los na bibliografia indicada

. reduzir notas ao essencial

. inserção de pequenos textos de época: comentários, interpretações, declarações, discursos, gráficos, etc.

. imagens – duas ou três sobre o tema considerado

. bibliografia em lingua portuguesa – cinco a dez autores

. filmografia de apoio

. o texto principal (não contando bibliografia, filmografia e inserção de textos de época) deve ter entre 3 e 5 páginas (6 mil a 10 mil caracteres)

. a quaisquer regras, privilegiar a própria imaginação

 

Janeiro, 2011

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

História Contemporânea I

2011. Primeiro semestre

 

Programação das aulas

 

01. Apresentação

Unidade I

02. A revolução americana – I

03. A revolução americana – II

04. A revolução francesa – I

05. A revolução francesa – II

06. O liberalismo – a matriz anglo-saxônica

07. O liberalismo – a matriz francesa

08. O liberalismo realmente existente

Unidade II

09. As propostas e lutas democráticas

10. As propostas socialistas da primeira metade do século XIX

11. As revoluções de 1848

12. Os movimentos operários e a AIT

13. A Comuna de Paris

14. A Internacional Socialista

15. Liberalismo, socialismo e a questão nacional

16. A unificação italiana

17. A unificação alemã

Unidade III

18. A segunda grande revolução científico-tecnológica – I

19. A segunda grande revolução científico-tecnológica – II

20. A expansão das grandes potências entre 1870 e 1914 – I

21. A expansão das grandes potências entre 1870 e 1914 – II

22. As resistências à expansão européia: a China

23. As resistências à expansão européia: África sub-sahariana e mundo muçulmano

24. Imperialismo e Internacionalização do capital

Unidade IV

25. Modernidades liberais e modernidades alternativas

26. As modernidades alternativas: o caso alemão

27. As modernidades alternativas: o caso russo –

28. As modernidades alternativas: o caso do Japão

29. As modernidades alternativas: o caso da China

DISCIPLINA: História Moderna – Márcia Motta

6 Jan

Professora: MÁRCIA MOTTA

Disciplina: HISTÓRIA MODERNA

Tipo: —-BÁSICO—

Eixo Cronológico: Linha Temática:

Período:         –                      Turno: M     Horário: segunda das 09 às 13 horas

N                     segunda das 18 ás 22 horas

______________________________Programa de Disciplina__________________________

Título: HISTÓRIA MODERNA

Ementa:

§     : Formação e crise da sociedade de Antigo Regime e a Idéia da Revolução com base na produção historiográfica e ou fontes primárias relacionadas a um dos seguintes temas: a) Monarquia Absolutista, Mercantilismo e Sociedade de Ordens; b) Renascimento, Reforma e Revolução; c) Cidadania, Razão e Liberdade; d) Movimentos Sociais, culturais e protesto popular; e) Antigo Regime, crise e Revolução.

Objetivos: Discutir as principais marcas interpretativas em História Moderna. Analisar a produção historiográfica sobre absolutismo e mercantilismo. Discutir a relação entre Antigo Regime e protesto popular. Analisar a relação entre Antigo Regime, Reforma e Revolução.

Bibliografia Básica (máximo de 10 obras):

ANDERSON, Perry. Linhagens do Estado Absolutismo. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BURKE, Peter. A Fabricação do Rei – a construção da imagem pública de Luis XIV. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

CIPOLLA. Carlo M. História Econômica da Europa Pré-Industrial. Lisboa: Edições 70, 1984.

DELUMEAU, Jean. A Civilização do Renascimento. Lisboa Estampa, 1984.

DARNTON, Robert. Edição e Sedição – ou o universo da literatura clandestina no século XVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

ELIAS, Norbert. A Sociedade de Corte. Lisboa: Estampa, 1987.

HILL, Christopher. O mundo de ponta-cabeça – idéias radicais da Revolução Inglesa de 1640. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

VENTURI, Utopia e Reforma no Iluminismo. Bauru: Edusc, 2003.

VOVELLE, Michel. O Homem do Iluminismo. Lisboa: Presença, 1997.

WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. São Paulo: Pioneira, 1996.